Minha experiência com o DIU Mirena

A Nicas é quase uma entidade/santa protetora deste blog, pois é citada em quase todos os posts. Obrigada por existir, Nicas. Visitem o blog dela pois: pessoa maravilhosa e posts incríveis.

Ela fez dois posts falando sobre o Mirena. Um sobre a decisão de colocar, outro sobre sua avaliação pós um ano com ele. Depois deste segundo texto senti vontade de contar a minha experiência pois foi catastrófica. E claro, mais do que sobre métodos contraceptivos, precisamos falar sobre a necessidade deles em nossas vidas. Não é algo exposto com tanta abertura assim, mas sabemos: a maioria quer evitar uma gravidez e só. USEM CAMISINHA, CARAI, mas se você é uma moça sem tretas menstruais, cheia de paranoias e quer uma opção a mais para evitar bebês no seu útero, o DIU de cobre resolve. Ele só inibe gravidez, você menstrua normal. Acontece que muita gente esquece das moças com ovários policísticos e com endometriose.

Caí mais ou menos na segunda categoria. Não tenho um diagnóstico, mas a médica disse que as chances de despontar uma endometriose neste belíssimo útero são altas. Conversamos muito e minha ginecologista de anos indicou parar com a pílula e colocar um DIU de hormônio (o Mirena). Pesquisei com calma para fazer tudo pelo meu convênio, que é de Campo Grande. Infelizmente não sei como funciona pelo SUS ou particular, mas a maioria das ginecologistas fazem a introdução na própria clínica. Em outros casos, só pode ser efetuado em hospitais.

Em tempos de demonizar a pílula sinto ainda mais vontade de escrever sobre o assunto. O objetivo aqui é contar minha experiência com o DIU, porém faço questão de dedicar algumas linhas em defesa da pílula. Gente, eu já tentei de tudo. Tudo mesmo. Remédios de farmácia, remédios naturais, chás, óleo de prímula. Algumas coisas ajudaram por um tempo, até meu corpo criar resistência e não ter mais efeito. Meu ciclo era porreta:

É CLICHÊ DEMAIS usar esse gif como referência, eu sei

Pois juro que era bem assim. Três dias sangrando horrores e me arrastando pelos cantos por motivos de cólicas intensas e muita dor no corpo. Sem contar o inchaço. Me sentia tal qual o boneco da Michelin. Não sou evoluída a ponto de curtir sentir dor e sangrar horrores. Com essa história de endometriose, então, não pensei duas vezes. Só comecei a tomar pílula em 2013, resisti ao longo de 12 anos de muito sofrimento com a menstruação. O fluxo sossegou, as cólicas também (sim, elas continuaram!! as cólicas me amam e são muito resistentes), e então veio aquele papo promissor de FIM das cólicas E do fluxo. Não resisti, precisava tentar.

Como é colocar um DIU?

É horrível. Não vou fazer cerimônia. Tenho tolerância super alta para dor (tatuei a costela, sabe) e pensei que fosse morrer. Pior cólica da minha vida, parecia um alien tentando rasgar as paredes do meu útero. Na hora de introduzi-lo você consegue sentir direitinho, é como se alguém te desse um soco forte no útero e continuasse empurrando. A tendência do teu corpo é tentar expulsá-lo em seguida, pois é um objeto estranho invadindo o espaço – ou seja, a cólica forte pode te incomodar ao longo de vários dias. Diminui, é claro. No dia que coloquei pensei que fosse morrer e cheguei a sentir ânsia de vômito. Nos outros dias incomodava, era chatão, mas nada comparado ao primeiro dia.

Fui 100% Carminha surtando na hora que a gineco enfiou esse negócio em mim

Ouvi dizer que a longo prazo você deixa de menstruar. É verdade?

Tenho amiga que parou mesmo, mas o meu corpo, diferente dos delas, é burro e adora menstruar. Completo um ano com o DIU no fim de março e até agora ‘menstruei’ todos os meses. Coloco entre aspas porque a menstruação tende a reduzir cada vez mais e o fluxo parece de fim de ciclo, aquela borrinha marrom. É normal ter escape no início, é o teu corpo reagindo ao “objeto não reconhecido” dentro de você. Por isso o Ultrassom transvaginal deve ser feito de seis em seis meses, pra checar se o DIU continua onde deveria estar. O deslocamento dele pode ser causar cólicas e sangramentos.

Como foi para você?

Dei muitas chances a ele, juro. Tudo começou com os escapes – foram praticamente três meses convivendo com aquilo que chamava de ‘fim de menstruação eterno’. Não dava para usar coletor, pois o fluxo era muito leve para isso; não dava pra ficar sem protetor de calcinha porque era sangue suficiente pra manchar; se colocava protetor eventualmente ficava assada e a dois passos de ter uma candidíase. Meu ciclo, que antes durava entre 5 e 6 dias, agora dura DEZ – isso depois de uns seis meses de escape infinito, claro. E bem, as cólicas… sempre tive probleminhas com isso, não faço ideia do que é uma vida sem sentir essas dores horríveis. Elas pioraram com o DIU. São mais fortes e duram mais tempo – ao menos em comparação com os tempos de pílula. A indicação visava me afastar de uma possível endometriose, reduzindo fluxo e cólicas. O fluxo melhorou, é verdade, mas o escape me incomoda muito e convenhamos – ninguém gosta de sentir dor.

Quando tenho essas cólicas porreta fico que neeem esse esqueleto

O veredicto

Cada organismo é um organismo, certo? O meu não se adaptou. Conheço outras pessoas que colocaram, amaram e não tiveram problemas. Foi até difícil pedir a opinião de outras moças porque todo mundo dizia “calma, o início é difícil mesmo”, mas os sintomas persistiram mesmo depois do primeiro semestre de adaptação. Então sim, meu plano é tirar. Vou fazer os exames de rotina assim que completar um ano de DIU e checar quais são os procedimentos para retirar.

E você? Já pensou em colocar um DIU? Tem vontade? Conte nos comentários! 😀

Anúncios

Um comentário sobre “Minha experiência com o DIU Mirena

  1. Barbara M. disse:

    OI, Lidy! Eu tenho o DIU, mas o meu é o de cobre pois não posso usar nada com hormônios… Pra colocar eu achei tranquilo, realmente é uma dor de cólica e o fato de precisar estar menstruada pra colocar foi foda, fiquei meio constrangida hahahaha Mas achei uma dor rápida. O problema foi que eu cai no erro de colocar de manhã e ir trabalhar no mesmo dia… pra que?? Trabalhava com atendimento ao público na época e chegou uma hora que eu já tava fazendo caretas pra pessoa na minha frente, pq começou a dar umas pontadas de dor dhsuahsduiahda Já faz dois anos que coloquei, me adaptei muito bem! Dor só senti nos primeiros três dias, depois nunca mais senti! Minha cólica não aumentou, o ciclo sempre foi intenso e achei que ficou igual…
    Meu convenio cobriu, só sai ganhando. Mas é isso que você disse, cada organismo é de um jeito e cada pessoa sente dor de uma forma e numa intensidade, também já tatuei a costela e achei que doeu menos do quee pra tatuar o braço e a coxa. Vai entender, né? hahah De qualquer forma, compartilhar a experiência sempre é válido.
    Agora, dúvidas quanto ao coletor: eu tenho vontade e comprar um, mas já ouvi dizer que a pressão pode deslocar o DIU. Sua médica disse algo sobre isso? O que você achou?
    Um beijo e desculpas o textão!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s